Main Slider

Sindicato dos Bancários quer prioridade na vacinação contra Covid-19 em Cotia

Ofícios cobrando a inclusão da categoria entre grupos prioritários foram entregues na Prefeitura e na Câmara Municipal

Dirigentes sindicais em reunião com vereadores de Cotia. Foto: Reprodução / Redes sociais 


O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região enviou ofício para a Prefeitura de Cotia cobrando a inclusão dos bancários entre grupos prioritários na vacinação contra a Covid-19.

Representantes da entidade também se reuniram nesta terça-feira (15) com vereadores na Câmara Municipal para fazer o pedido. Os parlamentares Luis Gustavo Napolitano, Edson Silva, Marcinho Prates e Felipe Variedade atenderam os dirigentes sindicais.

O sindicato está percorrendo todas as prefeituras e câmaras municipais de sua base de atuação para fazer a mesma cobrança. Conforme o Decreto nº 10282, de 20 de março de 2020, a categoria bancária está enquadrada como serviço essencial desde o início da pandemia.

“Essa é mais uma das ações do sindicato para garantir que os bancários sejam incluídos em grupos prioritários de vacinação, o que, do ponto de vista epidemiológico, não protege apenas a categoria, mas contribui para a não disseminação do coronavírus, uma vez que bancários e o restante da população estão em contato direto e recorrente nas agências”, explica secretário de Relações Sociais e Sindicais do Sindicato, Dionísio Reis.

“Os bancários não deixaram de atender a população desde o início da pandemia e já registram um percentual de desligamentos por morte 174% superior ao período anterior à pandemia. É urgente incluir a categoria nos grupos prioritários da vacinação”, enfatiza a secretária-geral do Sindicato, Neiva Ribeiro.

Além disso, o sindicato também se colocou à disposição dos municípios de sua base para contribuir na elaboração de políticas públicas de combate à pandemia de coronavírus. O ofício foi assinado em conjunto com o Cerest (Centros de Referência em Saúde do Trabalhador), Cissor (Conselho Intersindical de Saúde e Seguridade Social de Osasco e Região), Metalúrgicos de Osasco e Região e Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo).

Por Neto Rossi