Main Slider

Vacinação de grávidas e puérperas com comorbidades será retomada, anuncia governo de SP

Anúncio foi feito pela gestão Doria durante coletiva realizada nesta quarta-feira (12); imunização deste grupo chegou a ser suspensa por recomendação da Anvisa, nesta semana



O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (12) a retomada da vacinação contra a Covid-19 em gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias) com comorbidades a partir de 18 anos.

A imunização deste grupo, que chegou a ser suspensa ontem após recomendação da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), será retomada em todo o estado a partir da próxima segunda-feira (17), segundo o governo.

A vacina da AstraZeneca, que seria aplicada neste grupo, vinha sendo usada em alguns estados. Agora, só podem ser aplicadas nas gestantes a CoronaVac e a vacina da Pfizer.

Segundo o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a retomada será possível por conta de remanejamentos de doses feitos pela Secretaria da Saúde e da entrega do novo lote de vacinas da CoronaVac, que foram enviadas pelo Instituto Butantan para o Ministério da Saúde nesta quarta (12).

No total, segundo o governo, 100 mil gestantes e mulheres com mais de 18 anos, que tiveram partos recentes, poderão se vacinar.

O governo explicou que as grávidas em qualquer período gestacional deverão também apresentar comprovante de acompanhamento e/ou pré-natal ou laudo médico. As puérperas podem utilizar a declaração de nascimento da criança.

Para ambos os casos, é necessário comprovar a comorbidade apresentando documentos de saúde como exames, receitas, relatório ou prescrição médica, bem como cadastros pré-existentes nas UBS (Unidades Básicas de Saúde).

Nova faixa etária para comorbidades

O governo de São Paulo também anunciou nesta quarta o início da vacinação para pessoas com comorbidades que têm entre 45 e 49 anos. A imunização deste grupo deve acontecer no dia 21 de maio. Para o novo grupo em questão, a gestão de Doria prevê a imunização de 670 mil pessoas.

Relação de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde:

• Doenças Cardiovasculares

• Insuficiência cardíaca (IC)

• Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar

• Cardiopatia hipertensiva

• Síndromes coronarianas

• Valvopatias

• Miocardiopatias e Pericardiopatias

• Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas

• Arritmias cardíacas

• Cardiopatias congênitas no adulto

• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

• Diabetes mellitus

• Pneumopatias crônicas graves

• Hipertensão arterial resistente (HAR)

• Hipertensão arterial – estágio 3

• Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade

• Doença Cerebrovascular

• Doença renal crônica

• Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer).

• Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)

• Obesidade mórbida

• Cirrose hepática