Main Slider

PMs atiram em agente de segurança, mas são baleados e acabam presos em Carapicuíba

Policiais militares foram indiciados por organização criminosa e dupla tentativa de homicídio qualificado


Imagens de câmeras de segurança flagraram o momento da troca de tiros 


Três policiais militares foram presos após serem acusados de terem atirado contra o agente de segurança Jorge Ferreira da Silva, 38, e seu filho, José Caio Salviano Pinheiro, 18, em Carapicuíba, nesta quinta-feira (13).

O soldado William Quintino Leite e os cabos Wagner Aparecido Cunha Junior e Rafael Francesconi foram indiciados por organização criminosa e dupla tentativa de homicídio qualificado. As prisões do trio foram convertidas em preventiva, nesta sexta-feira (14).

De acordo com o boletim de ocorrência, PMs do 33º Batalhão foram acionados para uma ocorrência na Vila Lourdes. No local, apuraram que um grupo de pessoas conversava no meio da rua, ao redor de um carro preto, modelo Toyota Hilux blindado, que pertencia a Jorge.

Segundo relato de testemunhas e de imagens de câmeras de segurança, ao menos quatro pessoas armadas e usando máscaras pretas que ocupavam um automóvel GM/Prisma preto, pararam em frente ao grupo e começaram a atirar.

Conforme mostram as imagens, dois atiradores que estavam no banco de trás do carro descem do veículo e dispararam contra o agente de segurança. Seu filho foi baleado na perna. Jorge passou a trocar tiros com a dupla, e fugiu a pé. Ele não se feriu.

O Prisma seguiu até a esquina, e o suspeito que estava no banco do passageiro saiu do veículo, se escondeu atrás de um caminhão estacionado, continuou efetuando tiros e depois voltou ao carro e fugiram.

Depois, a PM teve conhecimento que dois agentes do 20º Batalhão de Polícia Militar, de Barueri, deram entrada no Hospital Regional de Osasco.

No hospital, foi encontrado com os dois PMs a carteira funcional do cabo Wagner, que é lotado no 5º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia), de Barueri. A Polícia Civil identificou que o Prisma pertence à mãe de Rafael.

O soldado William foi baleado no antebraço direito e no dedo da mão esquerda, e o cabo Rafael foi atingido no ombro esquerdo.

Já o cabo Wagner foi atingido no rosto e no ombro e foi levado ao Sameb (Serviço de Assistência Médica de Barueri). A Polícia Civil encontrou com Wagner uma blusa vermelha semelhante à usada por um dos atiradores que aparecem nas imagens.

A Polícia Militar esclareceu, por meio de nota, que Wagner teve alta e foi encaminhado ao Presídio Militar Romão Gomes. Já os outros dois agentes permanecem internados sob escolta policial.

O caso foi registrado pelo 1º DP de Carapicuíba, que apura todas as circunstâncias relacionadas aos fatos.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, as diligências prosseguem, com acompanhamento da Corregedoria da PM, para identificar outros possíveis envolvidos.


Reportagem com informações da Ponte Jornalismo