Main Slider

Cotiano lançará novo livro "O Desbravador de Identidades"

Autor já foi homenageado pela Câmara Municipal de Cotia.



Há um ano o professor e diretor de escola Carlos Rogério Lima das Mota lançava “Flor-de-Cera”, nova versão de “Venusa Dumont – da memória à ressurreição”, escrita 22 anos atrás. (relembre clicando aqui). A obra de Carlos foi agraciado com diversos prêmios da crítica e do público, além da Moção de Aplausos de nº 8/2020, por parte da Câmara Municipal de Cotia, por conta do trabalho literário de relevância à juventude atual.

Em 2021, Carlos aproveita o momento de isolamento social tão necessário ao controle da Covid-19 para lançar, pela Editora Saramago, “O Desbravador de Identidades”, uma adaptação de outra obra sua, publicada em 2003, em sites da Internet.

Quem espera por uma nova Flor-de-Cera, com viés ao romantismo exacerbado e à discussão de temas políticos tomará um susto com a nova produção”, avisa o autor, que é oriundo de Marília, no interior do Estado de SP. “A trama, de 414 páginas, escrita em aproximadamente 45 dias, aborda as muitas máscaras sociais que existiam na era da internet discada do início do milênio, um território aparentemente sem lei, onde você podia ser o que quisesse, ter a personalidade que imaginasse, ainda que isso subvertesse a lógica da realidade. ” – completa o autor.

Ambientada na São Paulo de 2003, a trama de O DESBRAVADOR DE IDENTIDADES é o retrato de uma realidade pouco discutida pela sociedade. Ricardo, o protagonista da história, filho do empresário Leonardo Médici e da economista Natália Médici - morta em um estranho acidente na Rodovia Castelo Branco, quando ele ainda era uma criança-, tem um comportamento considerado instável, cuja arrogância, alimentada pelo arsenal financeiro do império que um dia herdará, faz-se marca em seu caráter.

Sua felicidade é desafiar a sociedade. Tal atitude de afronta é encurtada quando ele conhece pela Internet um sinistro personagem, que se julga o dono de todos os mistérios, transformador de tudo o que toca e destruidor da personalidade daqueles que tem a certeza de poder desbravar. Ele está diante de “O Desbravador de Identidades”; ser que se materializa nas páginas de um bate-papo.

O desbravador invade o mundo psicológico de Ricardo, tornando-o vazio, indefeso diante da mesma sociedade que imaginava manipular. Como poderá descobrir quem é aquele que lhe causa tantas dores se apenas o conhece pelas palavras ambíguas com que se descreve? E como o encontrar em São Paulo, a gigantesca selva de pedra?

Nesta busca insana, passado e futuro se cruzam, realidade e ficção se encontram, vida e morte se enfrentam, sonhos e pesadelos se fundem... A caçada apenas começou!

É com essa premissa, num misto de novela e série, que a história conduzirá o leitor a uma profunda reflexão: até que ponto as máscaras virtuais garantem o anonimato almejado pelo internauta? E como evitar que estas mesmas máscaras não instiguem uma viagem perigosa ao mundo do crime?

O Desbravador de Identidades aposta num suspense de tirar o fôlego; a cada capítulo uma revelação e a cada revelação uma bomba. Máscaras cairão, outras se formarão, cabendo ao leitor, como num Big Brother às avessas, decidir o que lhe parece mais crível ou razoável”. – afirma o autor, com os olhos reluzindo. “ Certamente o leitor se identificará com as personagens e suas múltiplas facetas!” – finaliza o escritor.

O Desbravador de Identidades chegará às livrarias no início de julho.