Main Slider

Educadores de Cotia comemoram 1ª dose da vacina, mas ainda acham cedo em retomar aulas presenciais


Profissionais da educação com idade a partir dos 47 anos começaram a ser vacinados contra a Covid-19, em Cotia, nesta semana; segundo eles, por mais que o sentimento seja de alívio, ainda não há segurança para voltar as aulas presenciais

Foto: Alexandre Rezende / Prefeitura de Cotia 


Os profissionais da educação, com idade a partir dos 47 anos, começaram a ser imunizados contra a Covid-19 em Cotia nesta segunda (12) e quarta-feira (14).

Apesar da satisfação em receber a primeira dose da vacina, eles avaliam que ainda é cedo para pensar na retomada presencial das aulas.

“Só quando a população toda for vacinada é que teremos um pouco de segurança”, opina Eliana do Prado, 52, que trabalha na E.M Samuel da Silva Filho, no Mirante da Mata.

A opinião de Silvana Bezerra, 54, que é diretora da E.M Maísa Aparecida Ribeiro, localizada em Caucaia do Alto, vai no mesmo sentido. Para ela, enquanto toda a população não for vacinada, as vidas continuarão em risco.

“A gente precisa que todo o quadro da educação seja imunizado. Na verdade, a gente precisa que a população toda seja imunizada. Aí sim a gente retoma as aulas. Aula sem vacina é continuar mantendo a população em risco”, diz.

Silvana exemplifica também que em sua escola tem 18 professores, mas apenas cinco foram imunizados por terem mais de 47 anos. “13 continuam na linha de frente e na linha de risco.”

O professor da E.E Vila São Joaquim II, César Morales, 49, disse que se emocionou ao receber a primeira dose da vacina contra a covid. Mas a emoção foi uma mistura de alívio e tristeza.

“Eu chorei ao receber a vacina e também em ver tantos colegas sendo vacinados. Mas chorei também de tristeza porque muitos colegas não receberam a vacina porque perderam a luta para o vírus. Doeu o coração em pensar quantas vidas teriam sido salvas se a vacina tivesse chegado antes”, comenta.

Para César, também ainda não é o momento de pensar em retomada das aulas com segurança. “Temos que esperar reduzir esses casos. Os hospitais estão cheios, vamos aguardar mais um pouco. Quem foi imunizado foram os profissionais, não as nossas crianças, não os nossos alunos”, avalia.

AULAS SUSPENSAS POR DECRETOS

As aulas da rede municipal de Cotia estavam cogitadas para retornarem no dia 1º de março de 2021. Mas todos os prefeitos das cidades que fazem parte do Consórcio Cioeste avaliaram que não seria o momento ideal diante do avanço da pandemia e decidiram pela prorrogação.

Mesmo com permissão do governo de São Paulo, o prefeito de Cotia, Rogério Franco, decidiu neste sábado (10) pela não retomada das aulas da rede estadual de ensino. A decisão vai valer até, pelo menos, o próximo domingo (18), ou enquanto durar a fase vermelha da quarentena no estado.

Reportagem: Neto Rossi