Main Slider

Com a ‘caminhonete da esperança’, morador de Cotia distribui alimentos para famílias em comunidades


Israel Fávaro passa anunciando em bairros de Cotia com seu veículo para saber quem precisa de ajuda. Com a caminhonete, ele arrecada alimentos em bairros mais nobres e distribuí nas periferias da cidade

O educador físico, Israel Fávaro, com sua caminhonete entregando alimentos na periferia de Cotia. Foto: Divulgação


‘Oi, eu sou Israel Fávaro, e a caminhonete da esperança está em sua rua. Se você está passando por dificuldade e está precisando de alimentos, venha, aproxime-se, estou aqui para ajudar’.

Esse é o começo da frase de uma vinheta, reproduzida em uma caixa de som, que o educador físico, Israel Fávaro, passa em comunidades de Cotia com sua caminhonete L 200 para distribuir alimentos às famílias mais necessitadas. De uso próprio, Israel adaptou seu veículo para servir de esperança a quem neste momento mais coimplicado da pandemia vem enfrentando extremas dificuldades.

Morador do Jd Empírio, em Cotia, Israel ajuda pessoas em situações mais vulneráveis há, pelo menos, dez anos. Seu trabalho em prol do próximo deu início com pessoas em situação de rua. “No ano passado, tirei 39 [pessoas] da rua. Este ano, está sendo meu recorde: já foram 16 [que tirou] das ruas de Cotia”, conta.

Por conta deste trabalho, familiares dessas pessoas que foram ajudadas por ele, começaram a procurá-lo. “Aí, você ajuda um daqui e outro dali, e vai se espalhando.”

Alimentos sendo entregues por Israel na comunidade das 'Casinhas', no Jd Lavapés



Mas com o cenário instalado pelo coronavírus, esse trabalho multiplicou, diante das necessidades. Ele disse ao Cotia e Cia que, antes da pandemia, recebia uns dez pedidos de ajuda por dia, como alimentos, roupas e medicamentos. Mas com a pandemia, subiu de 30 a 40 pedidos por dia. “Nesta segunda onda, tem em torno de 100 pedidos diários”, diz.

Diante do aumento da demanda, Israel começou a sentir dificuldades em continuar com o trabalho, pois não conseguia dar conta de tanta gente pedindo ajuda. Foi quando teve a ideia de improvisar uma caixa de som em cima de sua caminhonete e sair anunciando nos bairros.

“Muitas [pessoas] não saem de casa e, quando escutam que podem ajudar de alguma maneira, elas saem no portão e me entregam o alimento para levar para as pessoas que precisam. Passo nos bairros onde têm pessoas com condições melhores para fazer a arrecadação, eu passo, vou pegando e, no final do dia, vou pras comunidades distribuir”, detalha.

Para quem puder ajudar, basta entrar em contato pelo WhatsApp: (11) 94514-5619.


Por Neto Rossi