Main Slider

SP aumenta restrição a atividades comerciais e anuncia toque de recolher durante 15 dias


Novas medidas da fase emergencial suspendem atividades antes consideradas essenciais. Nova etapa, anunciada hoje pelo governo, entra em vigor em todo o estado a partir de segunda-feira (15)





O Estado de São Paulo entrará a partir da próxima segunda-feira (15) na fase emergencial do Plano SP, que vai durar, pelo menos, até o dia 30 de março. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11) pelo governo paulista. 

A medida restringe o funcionamento de supermercados até às 20h e excluí outras atividades, antes consideradas como essenciais. Ao todo, 14 atividades passarão por restrições mais severas (confira abaixo as principais mudanças). 

Também haverá toque de recolher a partir da semana que vem, que vai valer das 20h às 5h. Não será permitido circular durante o período, a não ser que seja estritamente necessário. Além disso, estão proibidas todas as aglomerações, praias e parques não podem ser frequentados e as máscaras são obrigatórias em ambientes internos e externos.



Alguns serviços que estavam na lista dos considerados essenciais, como lojas de materiais de construção, foram excluídos e deverão permanecer fechados.

Foi ainda determinado o teletrabalho obrigatório para atividades administrativas não essenciais, e vetada a retirada presencial de mercadorias em lojas ou restaurantes. Apenas serviços de delivery poderão operar.

No ensino, a escolas estaduais vão antecipar dois recessos que seriam feitos ao longo do ano e vão parar por 15 dias. As escolas municipais e privadas têm autonomia para definir, mas a orientação da Secretaria de Estado da Educação é para suspender as atividades. Caso a unidade permaneça aberta, precisam cumprir a capacidade máxima de 35%.

O estado tem 9.184 pessoas internadas por covid-19, índice 47% maior do que no primeiro pico da pandemia. O objetivo da fase emergencial é reduzir em 4 milhões o número de pessoas que circulam diariamente no estado.

Confira abaixo as principais mudanças:

Atividades religiosas como missas e cultos não poderão mais ocorrer presencialmente

Campeonatos esportivos, como jogos de futebol, ficam suspensos

Escolas da rede estadual ficarão abertas apenas para oferta de merenda. Rede privada poderá atender alunos de pais que precisam trabalhar fora, com limite de 35% da capacidade

Lojas de material de construção não poderão abrir

Teletrabalho obrigatório para atividades administrativas não essenciais

Estabelecimentos não poderão operar com serviço de retirada presencial, apenas delivery


O governo também orientou a adoção de horário de entrada escalonado para os trabalhadores, evitando, assim, aglomerações no transporte público. A escala ficou da seguinte forma:

5h-7h: trabalhadores da Indústria;

7h-9h: trabalhadores de Serviços;

9h-11h: trabalhadores do Comércio

Matéria em atualização