Main Slider

Grupos realizam carreata contra Bolsonaro em Carapicuíba e Osasco


A manifestação deste sábado (23) foi convocada por organizações de esquerda, como sindicatos e movimentos populares reunidos na Frente Povo Sem Medo. Amanhã os atos serão mobilizados por movimentos de direita em diversas cidades do país

Foto enviada por Anderson Fernandes, do Sindicato Químicos Unificados 

 

Neste momento, diversos carros tomam as principais vias de Carapicuíba e Osasco em ato pró-impeachment do presidente Jair Bolsonaro. A manifestação deste sábado (23), que acontece em ao menos sete capitais e no Distrito Federalfoi convocada por organizações de esquerda, como sindicatos e movimentos populares reunidos na Frente Povo Sem Medo.

Representantes do Sindicato Químicos Unificados de Osasco e Região, do PSOL de Cotia e da Apeoesp participam da manifestação.

O formato de carreatas, que acaba excluindo grande parte da população que não é motorizada, foi escolhido para reduzir o risco de contágio da covid-19 durante os atos.
Para a dirigente do Sindicato Químicos Unificados de Campinas e Osasco, Nilza Almeida, o dia de hoje será histórico por representar a unidade dos partidos de esquerda, movimentos populares e sindicais. 

"O povo que está cansado desse descaso do governo federal, por isso um dia de luta pelo impeachment com lema fora Bolsonaro e toda sua política de morte", disse.
Para a secretária-geral da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Carmen Foro, é extremamente acertada a mobilização do campo progressista por “Fora Bolsonaro”.

“Com essas carreatas, a CUT e as Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo demonstram que ir para a rua é possível. Este governo já cometeu crimes demais contra a população brasileira”, diz Carmen.

A dirigente ressalta ainda que as mensagens dúbias de Bolsonaro em relação à pandemia e à democracia deixam a população desorientada. Um exemplo são as aglomerações em Manaus, capital do Amazonas, que vive uma crise de saúde sem precedentes com hospitais lotados e mais gente morrendo sem atendimento médico, sem oxigênio.

“ A situação de Manaus é de dar vergonha. É muita tristeza o que acontece nesse momento nesse país, e não haverá saída nenhuma com esse presidente. Portanto, a CUT se mantem firme e forte na sua campanha de “Fora Bolsonaro”, que não começou agora. Desde o ano passado pedimos o impeachment, diz.

No domingo (24), as manifestações, desta vez convocadas por grupos de direita, terão continuidade. Os movimentos ‘Vem Pra Rua’ e ‘MBL’ fazem parte da organização dos protestos pró-impeachment de Bolsonaro.