Main Slider

Governo de SP detalha plano de vacinação contra a Covid-19 para prefeitos do estado

Segundo o governo, a vacinação, prevista para iniciar no dia 25/01, vai ocorrer de segunda a sexta, das 7h às 22h, e de 7h às 17h aos sábados, domingos e feriados; Rogério Franco participou do encontro virtual ao lado de alguns vereadores de Cotia 

Anúncio foi feito nesta quarta-feira (6)


O governo de São Paulo apresentou novos detalhes do Plano Estadual de Imunização contra o coronavírus nesta quarta-feira (6). Segundo o governo, a vacinação, prevista para iniciar no dia 25 de janeiro, vai ocorrer de segunda a sexta, das 7h às 22h, e de 7h às 17h aos sábados, domingos e feriados. O anúncio foi feito em reunião virtual para os prefeitos do estado.

O prefeito de Cotia, Rogério Franco, participou do encontro ao lado do presidente da câmara, Celso Itiki, e dos vereadores Johny Santos, Paulinho Lenha, Luis Gustavo Napolitano, Edson Silva, Marcinho Prates e Professor Osmar (veja aqui).  

Rogério Franco participou do encontro. Foto: Reprodução /Facebook

O secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, informou que além dos 5.200 postos de vacinação já existentes nas cidades do estado, esse número deve ser ampliado para 10 mil com a utilização de escolas, quartéis da PM, estações de trem, terminais de ônibus, farmácias e sistema drive-thru.

Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a CoronaVac ainda precisa ter a eficácia comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ainda de acordo com o governo, a previsão é de que os documentos sejam entregues à Anvisa nesta quinta-feira (7), quando também devem ser divulgados os resultados dos testes feitos no país.

Na 1ª fase, devem ser vacinadas 9 milhões de pessoas no estado. Como a CoronaVac prevê duas doses, estão previstas 18 milhões de doses para essa fase. Além de idosos com mais de 60 anos, serão contemplados os profissionais de saúde, indígenas e quilombolas.

 
Detalhes do plano de imunização do estado. Foto: Reprodução / Youtube


Durante a reunião, João Doria afirmou que o estado de São Paulo vive uma segunda onda de Covid-19. Segundo ele, o ano contará com mais dificuldades do que o esperado em outubro de 2020, quando havia sinais de melhora da pandemia.

Cobrança sobre prefeitos

Doria também mandou um recado a prefeitos que não seguirem as determinações do Plano São Paulo. No final de dezembro, o governo estadual notificou 20 prefeituras, entre elas a de Cotia, que descumpriram o decreto que colocou o estado em fase vermelha nos feriados após Natal e Réveillon.

"Tivemos recentemente experiência majoritariamente boa de prefeitos que foram corajosos, na proteção da vida. Alguns poucos não agiram como deveria. Mas esperamos que exceções não mais aconteçam. Não é cabível ter em São Paulo exceções, menos de 20, que não seguiram orientação do governo de proteger a vida dos munícipes", afirmou Doria.

O prefeito Rogério Franco descumpriu, em primeiro momento, a determinação do governo estadual, e não colocou o município na fase vermelha, a mais restritiva da quarentena. O caso foi parar na Justiça, que concedeu uma liminar obrigando a cidade a seguir a regra do governo.

"Em atendimento a uma decisão judicial, Cotia retorna à fase vermelha. Lutamos para que a economia local não fosse prejudicada, mas o judiciário determinou que a Prefeitura seguisse o Plano São Paulo. Até domingo, 3/1, somente serviços essenciais poderão funcionar. Vamos continuar com as medidas de combate à Covid-19 para proteger a população", escreveu Franco na ocasião (relembre aqui).