Main Slider

Funcionário do Instituto Butantan, cotiano é vacinado contra a Covid-19: “Foi gratificante”


Wesley Taioqui Bertolais, de 31 anos, trabalha na área de envase de vacinas e soros do Instituto Butantan. Ele, que já foi infectado pelo coronavírus, se sentiu aliviado ao receber a primeira dose do imunizante 

O cotiano Wesley Taioqui, de 31 anos. Foto: Arquivo pessoal 




Morador de Cotia, Wesley Taioqui Bertolais, de 31 anos, foi vacinado contra a Covid-19 na terça-feira (19). Ele recebeu a primeira dose da CoronaVac por trabalhar na área de envase das vacinas e dos soros do Instituto Butantan.

Wesley, que já foi infectado pelo coronavírus no início da pandemia, disse ao Cotia e Cia que se sentiu aliviado com a imunização.

“Deu um alívio. Para mim, foi gratificante. A vacina foi toda estudada e o Instituto [Butantan] tem muita credibilidade. Foi de boa para mim. Eu estava bem confiante”, comentou.

Sobre as reações, nenhuma até agora. “Estou normal. Nem dor no braço. Não deu nada. Trabalhei de boa a noite toda no dia que fui vacinado.” 

Ele explica que de 15 em 15 dias o instituto realiza o teste rápido nos funcionários. A fábrica, onde o cotiano trabalha desde maio do ano passado, tem 1.880 metros quadrados, e conta com o reforço de 120 novos profissionais, além dos 245 que normalmente atuam no instituto.

O processo de envase da CoronaVac, produzida pelo Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, começou no dia 10 de dezembro de 2020.

Segundo o “Vacinômetro”, ferramenta digital desenvolvida pelo governo de São Paulo em parceria com a Prodesp, mais de 32 mil pessoas já tinham sido vacinadas até às 12h30 desta quinta-feira (21) em todo o estado.

“Agora, temos que continuar nos prevenindo. Tem que vacinar todo mundo pra gente poder ficar tranquilo”, finaliza Wesley.