Main Slider

Governo de SP muda regra e aulas presenciais serão mantidas em 2021 mesmo se a pandemia piorar

A medida vale para alunos da educação infantil até o ensino médio.

E.E República do Peru, em Cotia. Foto: Reprodução


O governo de São Paulo mudou as regras de retorno às aulas presenciais da rede básica de ensino para o ano de 2021, o que compreende alunos da educação infantil até o ensino médio, mesmo se o estado registrar piora na pandemia de coronavírus. 

A medida, publicada no Diário Oficial em 18 de dezembro, vale inclusive caso o estado volte para fases mais restritivas das flexibilizações econômicas estabelecidas pelo Plano SP. As aulas nas escolas estaduais terão início no dia 4 de fevereiro. 

Antes, o retorno presencial das aulas só ocorreria quando as regiões do estado estivessem a partir da Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo. Mesmo assim, essa volta teria que ser feita de forma gradual. Os protocolos previam, por exemplo, que as escolas poderiam receber apenas 35% dos alunos em atividades presenciais, e mantendo distanciamento mínimo de 1,5 m. 

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, foi mantida a autonomia dos prefeitos de poder vetar a volta presencial nas suas cidades. No entanto, nos munícipios onde for acatada a orientação estadual de retorno, todas as escolas deverão reabrir e a volta dos alunos será obrigatória. elas regras anteriores, cada escola possuía autonomia de decisão e a presença dos alunos era facultativa. 

O retorno às aulas foi planejado com base no Plano São Paulo, que é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). 

Segundo o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, das 2,8 mil escolas estaduais que estão abertas desde setembro em São Paulo, não foram registrados casos de transmissão de covid-19 em ambiente escolar. 

Da Redação (Com informações da Agência Brasil e do G1)