Main Slider

Prefeito de Vargem Grande Paulista tem WhatsApp clonado

 Criminosos estão pedindo dinheiro em nome do prefeito.

O prefeito de Vargem Grande Paulista Josué Ramos teve o seu WhatsApp clonado nesta quarta-feira (19), ele informou através de seu Facebook o ocorrido.

"ATENÇÃO: O número do meu celular foi clonado! Desconsiderem qualquer mensagem no WhatsApp, principalmente pedindo pix." disse o prefeito.

Alguns amigos, como Adílson Lima disse que chegou a receber mensagem que seria do Prefeito pedindo ajuda "estão me pedindo ajuda financeira como se fosse ele, só pode ser golpe" publicou.


Tipos de Golpes:

O WhatsApp é o aplicativo de mensagens para dispositivos móveis mais popular do mundo. De acordo com um levantamento da Statista, no fim do último ano, o Brasil já ocupava o segundo lugar no ranking com o maior número de usuários do app no mundo, somando mais de 99 milhões de contas, ficando atrás apenas da Índia, com cerca de 340 milhões, e à frente dos EUA, com 68 milhões.

Com o crescimento dessa popularidade vem o aumento da ação de cibercriminosos que buscam disseminar golpes em massa, atingindo um número cada vez maior de vítimas para ganhar grandes quantias em dinheiro. Os tipos de golpes também estão se tornando cada vez mais sofisticados, com técnicas de engenharia social para convencer as pessoas a compartilharem os códigos de segurança para autenticação em dois fatores e obter o controle das contas.

Há formas conhecidas de golpes, como quando, após obter o número do telefone da vítima, o cibercriminoso faz uma chamada fingindo ser um funcionário de suporte técnico de um site conhecido para solicitar que a vítima compartilhe um código de confirmação via SMS; na verdade, o código foi enviado pelo próprio fraudador.

Se a vítima clicar no link recebido, permite que os cibercriminosos clonem a conta e procurem mais contatos, para enganá-los. Com isso, o usuário pode perder o controle do WhatsApp, enquanto o fraudador pode ler e enviar mensagens em seu nome.

Como se proteger?

Evite compartilhar seu número de telefone em plataformas públicas. Caso precise ser contatado, a recomendação é fornecer o endereço de e-mail.
Ative a autenticação de dois fatores nas configurações da conta do WhatsApp. Dessa forma, o invasor também precisará inserir seu PIN 2FA, além do código SMS, dificultando muito o sequestro.
Nunca compartilhe o código de autenticação do WhatsApp, nem mesmo com amigos e familiares. Ninguém deve solicitar um código de verificação de qualquer tipo via WhatsApp.

Se você precisar verificar uma conta, faça-o diretamente na plataforma e nunca envie códigos de verificação pelo WhatsApp. Os códigos de autenticação de dois fatores devem ser tratados como senhas, o que significa que não devem ser publicados nem compartilhados.

Assim, se alguém entrar em contato com você e contar uma história que parece ser boa demais, desconfie: pode ser uma farsa.

*Com informações do TecMundo.