Main Slider

Mulher compra aparelhos auditivos de R$ 9 mil e se recusa a pagar boletos, denuncia fonoaudióloga da Granja

Isabel disse que Jarilânia (da imagem) comprou dois aparelhos em sua clínica no valor de R$ 9 mil, mas apenas deu uma entrada de R$ 900 e desapareceu. Moradora de Caucaia, Jarilânia já é conhecida na região por ser acusada de dar golpes em alugueis de chácara

Jarilânia Melo Assis acumula processos na justiça por estelionatos. Foto: Reprodução / Facebook 


A fonoaudióloga Isabel Gandolfi, proprietária do Centro Auditivo Estilo de Vida, na Granja Viana, em Cotia, acusa Jarilânia Melo Assis de ter dado golpe ao comprar dois aparelhos auditivos em sua clínica no mês de março. Prejuízo foi de R$ 8,1 mil.

Isabel contou ao Cotia e Cia que Jarilânia foi no início de março levar seu filho para uma terapia fonoaudiológica. Enquanto o aguardava na sala de espera, viu que a clínica também vendia aparelhos auditivos.

Segundo a proprietária, Jarilânia apresentou exame que comprovava que ela tinha perda auditiva e resolveu comprar dois aparelhos que totalizaram R$ 9 mil. Ela deu entrada de R$ 900,00 e parcelou o restante em mais nove boletos, que seriam enviados pelo WhatsApp, mas ela não visualizou mais.

“Um dos boletos já venceu em março. Ela não pagou. Tentei contato com ela, mas ela não atendia. Peguei um funcionário e pedi para ir até o endereço dela. Aí, o funcionário ligou e disse que o porteiro [do condomínio] informou que ela estava em casa, [mas disse] que desconhece a compra de aparelhos auditivos, que ela não ia me receber e que não ia pagar boleto nenhum”, declarou.

Indignada com a situação, Isabel resolveu pesquisar na internet sobre Jarilânia e encontrou uma série de processos com o nome dela envolvido em casos de golpe e estelionato. “Nunca passei por uma situação dessa. Nunca. O que já aconteceu é o cliente não conseguir pagar o boleto e a gente fazer o contato e ele negociar, ter um desconto, tirar juros, enfim, mas nunca tive este problema da pessoa fugir e se recusar a receber os boletos.”

Cotia e Cia tentou fazer contato com Jarilânia na tarde desta sexta-feira (9), mas não conseguiu. Uma mensagem de texto foi deixada em seu celular para ela retornar o contato com a reportagem, mas até o fechamento desta matéria, não houve retorno.

ACUSADA DE GOLPES DE ALUGUEL

Jarilânia é conhecida na região por ser acusada de aplicar golpes em alugueis de sua chácara em Caucaia do Alto. Dezenas de pessoas já foram lesadas por ela.

Na prática, Jarilânia oferecia a chácara para temporadas e festas, mas ao fechar contrato, pegava uma quantia em dinheiro, que seria da entrada, e bloqueava as pessoas de seu telefone e também do WhatsApp.

LIMINAR DA JUSTIÇA

Desde dezembro de 2017, Jarilânia está proibida de alugar a chácara para qualquer tipo de evento ou festas, mesmo que gratuitas, sob pena de multa de R$ 10 mil. A decisão da Justiça aconteceu após inúmeras denúncias de moradores do condomínio Colonial Village, onde fica a chácara de Jarilânia.

Segundo a Associação dos Proprietários do Loteamento Colonial Village, Jarilânia, mesmo com liminar, continuou alugando a chácara, e a multa subiu para R$30 mil em 2018.

A sentença definitiva do processo foi deferida no dia 30 de março de 2020, onde o Juiz Diógenes Luiz de Almeida manteve a multa caso ela alugasse o imóvel. Ainda de acordo com a associação, Jarilânia já acumula mais de R$500 mil por desobediência à ordem judicial.
Reportagem de Neto Rossi