Main Slider

GCM de Cotia, Rosi Carregoza morre por complicações da Covid-19 aos 48 anos


Agente trabalhava na corporação há 23 anos; segundo informações de colegas de trabalho, Rosi contraiu o vírus uma semana antes de iniciar a vacinação em profissionais da área da segurança pública da cidade

O corpo de Rosi foi enterrado em Jandira neste domingo (25). Foto: Redes sociais



A Guarda Civil Municipal de Cotia, Rosi Carregoza Teles, morreu neste sábado (24) por complicações da Covid-19. Ela tinha 48 anos e atuava na corporação desde 1998. É a terceira agente da GCM de Cotia que perde a vida para o coronavírus.

Segundo informações de colegas da corporação, Rosi contraiu o vírus uma semana antes de iniciar a imunização em profissionais da área da segurança pública da cidade. Ela foi enterrada na manhã deste domingo (25), no cemitério Alphacampus, em Jandira.

O secretário municipal de Segurança Pública, Almir Rodrigues, manifestou seu pesar pela morte da agente nas redes sociais. “Entristecido pela morte precoce da nossa Guarda Civil Carregoza, que lutou o quanto pode pela vida! Deixo os meus sinceros a toda família, aos amigos e à nossa corporação, que chora em receber esta notícia”, escreveu.

A vice-prefeita de Cotia, Ângela Maluf, também se pronunciou em suas redes. “Acabei de saber da passagem da Guarda Civil Rosi Carregoza Teles. Ela tinha 48 anos e era muito querida e admirada por todos que tiveram o privilégio de conhecê-la. Uma pessoa maravilhosa. Que seja acolhida pelos anjos. Desejo força à família e amigos”, publicou.

Em nota publicada em sua página oficial, a Guarda Civil de Cotia relembrou da agente como uma pessoa querida e admirada por todos. “Nesse momento de dor, pedimos a Deus que console o coração dos familiares, em especial aos seus irmãos de sangue, Roseli, Rosangela e Gerson, que também são integrantes desta Instituição de Segurança Pública.”

Em 2014, Rosi foi homenageada pela Câmara Municipal de Cotia com uma medalha de ‘Mérito Legislativo Municipal’.

Rosi é a terceira vítima da covid entre agentes da GCM da cidade. O primeiro guarda a perder a vida para o vírus, em abril de 2020, foi Rogério Fernandes, que morreu aos 46 anos. Três meses depois, o agente Joaquim Tofaneli Neto morreu aos 47 anos, após se infectar com a covid.

IMUNIZAÇÃO EM PROFISSIONAIS DA SEGURANÇA PÚBLICA

Profissionais das forças de segurança pública do todo o estado de São Paulo começaram a ser vacinados contra a Covid-19 desde o dia 5 de abril. Desta categoria, são contemplados profissionais da ativa das polícias Civil, Militar e Técnico-Científica, Corpo de Bombeiros, Agentes Penitenciários, Guardas Civis Metropolitanos, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e da Fundação Casa.

Segundo o governador João Doria, todos esses profissionais, que somam 180 mil no estado, seriam imunizados em dez dias.

Os agentes da GCM de Cotia estão sendo vacinados no Batalhão da PM de Osasco. Outros profissionais, no entanto, receberam a primeira dose do imunizante na Secretaria Municipal de Saúde, segundo fontes da corporação.