Main Slider

Contra restrições, grupo convoca ato pela reabertura dos comércios em Vargem Grande Paulista


Grupo tem entre seus integrantes pastores evangélicos, bolsonaristas e simpatizante de movimento de extrema-direita; ato foi convocado para esta segunda-feira (5)

Imagem ilustrativa. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil 


Um grupo contrário às medidas de restrições impostas pelo governo de São Paulo, que por decreto mandou fechar os comércios considerados não essenciais durante a fase emergencial, convocou um ato para esta segunda-feira (5) no município de Vargem Grande Paulista.

Chamada de ‘passeata a favor da liberdade’, a organização reúne pastores de igrejas evangélicas, alguns comerciantes e um integrante do movimento de extrema-direita, ‘Ucraniza SP’.

Em áudios compartilhados em um grupo de WhatsApp, uma pessoa diz que é a favor de, após a manifestação, todos abrirem as portas de seus comércios. “Chegou fiscalização em um, o vizinho vai junto e fala não… não vamos fechar. Eles não vão levar todo mundo preso. E é fato que, se vir multa, a gente tem como recorrer. O decreto não é lei”, disse.

No mesmo grupo, um comerciante se opôs a ir na manifestação, pois não via coerência entre as argumentações do coletivo. Logo em seguida, um dos integrantes do grupo, que é do movimento ‘Ucraniza SP’, pede para outro membro enviar o contato do opositor e diz: “eu vou fazer questão de derreter o comércio desse infeliz aí”.

Os comércios considerados não essenciais foram obrigados a fechar por decretos estadual e municipais desde o dia 15 de março. A medida, instaurada durante a fase emergencial do Plano São Paulo, vale até o dia 11 de abril.