Main Slider

Governo de SP mantém regras atuais da quarentena em todo estado


Governo paulista decidiu manter as mesmas regras da fase vermelha; Doria declarou que o estado irá vacinar idosos com idade entre 72 e 74 anos a partir de 22 de março

Coletiva foi realizada nesta quarta-feira (10). Foto: Reprodução 




O governador de São Paulo, João Doria, não anunciou novas medidas mais restritivas para o controle da pandemia da covid-19, conforme era esperado. Ainda estão valendo as mesmas regras da fase vermelha até o dia 19 de março, apenas com o funcionamento de serviços considerados essenciais.

Doria também afirmou que o governo vai abrir 338 novos leitos hospitalares, sendo 167 de UTI. Nas últimas duas semanas, já foi anunciada a instalação de 1.118 novos leitos, sendo 675 de terapia intensiva.

Nesta terça, o Estado de São Paulo registrou um novo pico de mortes: 517 em 24 horas, com 16.058 novos casos.

Segundo a secretaria de saúde paulista, foram identificados 25 hospitais da rede estadual com ocupação superior a 95%, sendo que 19 deles atingiram 100%. A ocupação média de UTIs está em 82% - a maior de toda a pandemia.

Vacinação para idosos de 72 a 74 anos

Doria também anunciou nesta quarta a ampliação da vacinação contra a covid-19 para idosos com idade entre 72 e 74 anos a partir de 22 de março, num total de 730 mil pessoas que poderão receber a primeira dose ainda neste mês.

“Lembro que começaremos, em 15 de março, a vacinar as pessoas de 75 e 76 anos de idade. Uma semana depois, já iniciaremos a vacinação de pessoas com 72, 73 e 74 anos. Uma dádiva pra quem ainda tem seus pais, seus avós em vida é terem a oportunidade de prolongarem suas vidas com vacina”, disse Doria.

Com o avanço da campanha para o grupo a partir de 72 anos, serão 1,140 milhão de pessoas que poderão ser imunizadas ainda no mês de março. Em 3 de março, o Estado iniciou a vacinação dos idosos entre 77 a 79 anos, contemplando outros 720 mil idosos.

Vacina do Butantan é eficaz contra novas cepas

Outro anúncio feito pelo governo de São Paulo foi sobre uma pesquisa realizada por cientistas do Instituto Butantan e da USP, no ICB (Instituto de Ciências Biomédicas), que comprovou que a vacina Coronavac é eficaz contra novas cepas do coronavírus. O estudo atesta que a vacina do Butantan possui eficácia contra as três novas variantes que circulam no Brasil.

Estudos preliminares, realizados pelo Instituto Butantan em parceria com a USP, em pessoas vacinadas, demonstram que a Coronavac é capaz de neutralizar variantes do novo coronavírus. Os dados incluíram amostras de 35 participantes vacinados na Fase III. O estudo completo inclui um número maior de amostras, que já estão em análise. Os resultados completos serão divulgados posteriormente.