Main Slider

Prouni abre inscrições para bolsas de estudo; serão mais de 162 mil vagas


Inscrições vão até sexta (15); programa seleciona candidatos para bolsas parciais e integrais em universidades particulares 

Resultado da 1ª chamada será divulgado na próxima terça (19). Foto: Agência Brasil




As inscrições para o Prouni 2021 (Programa Universidade para Todos) começam nesta terça-feira (12) e seguem até sexta (15). O programa vai ofertar 162.022 vagas, sendo 76.855 bolsas integrais e 85.167 parciais. O resultado da primeira chamada será divulgado na próxima terça-feira (19). 

A consulta das alternativas de oferta está disponível na página do Prouni: http://prouniportal.mec.gov.br/. A busca pode ser realizada por tipo de bolsa (integral e parcial), modalidade (presencial e a distância), curso, turno, instituição e localidade do campus. 

O Prouni seleciona candidatos para bolsas parciais e integrais em universidades particulares. 

Requisitos 

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais, a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa. 

O candidato também precisa ter realizado a edição mais recente do Enem e ter alcançado, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o estudante não pode ter tirado zero na redação. 

Apenas para o processo seletivo do Prouni do 1º semestre de 2021 serão utilizadas, excepcionalmente, as notas do Enem de 2019, já que o resultado do Enem de 2020 será publicado em data posterior ao processo seletivo. 

O MEC realizará o próximo processo seletivo do Prouni, referente a 2ª edição de 2021, após a divulgação do resultado do Enem, quando serão exigidas as notas do Enem de 2020, cujas provas serão aplicadas a partir de 17 de janeiro de 2021. 

Para participar do Prouni é preciso, ainda, atender a pelo menos uma das seguintes condições: ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em escola da rede privada, desde que na condição de bolsista integral da respectiva instituição. 

Essa condição é válida tanto para quem cursou todo o ensino médio em escola privada, como para quem teve apenas uma parte dos estudos realizados em escola privada, sendo a outra parte em escola pública. 

As demais condições são: ser pessoa com deficiência; ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrar o quadro de pessoal permanente de instituição pública. Para quem comprova ser professor da rede pública, não é aplicado o limite de renda exigido aos demais candidatos.