Main Slider

Polícia investiga morte de idosa no Hospital de Campanha de Cotia

Dona Julieta morreu no dia 13 de maio após ficar por cinco dias internada na unidade com suspeita de Covid-19. Funcionários da época disseram que ela ficou amarrada e gritava por socorro. Um mês após sua morte, o resultado do exame veio negativo para a doença 



A Polícia Civil investiga a morte de Julieta Maria dos Santos, moradora de Caucaia do Alto, que morreu aos 83 anos dentro do Hospital de Campanha de Cotia no dia 13 de maio deste ano. Na tarde desta quinta-feira (17), uma filha e um sobrinho da idosa prestaram depoimentos na Delegacia de Polícia de Cotia. 

Segundo relatos de funcionários do hospital, na época, Julieta tinha sido amarrada no leito e gritava por ‘socorro’, pois queria fugir do local. Ela foi internada com suspeita de Covid-19, mas um mês após a sua morte, o resultado do exame veio negativo para a doença. 

No depoimento à polícia, que o Cotia e Cia teve acesso, Maria Lúcia dos Santos, filha de dona Julieta, disse que após consulta em uma unidade de saúde do município, sua mãe foi liberada, mas continuou passando mal. Foi orientada a levá-la no hospital de campanha, também conhecido como centro de combate ao coronavírus, que ficava ao lado do Terminal Metropolitano de Cotia, onde ficou internada por cinco dias. A unidade foi desativada no dia 6 de outubro. 

Segundo Maria, uma enfermeira da unidade, que não foi identificada, disse que sua mãe pedia ‘socorro, pelo amor de Deus, me tirem daqui’, pois estava com os braços e as pernas amarrados na cama. Ainda segundo ela, 50% dos pulmões da idosa estavam comprometidos e ela não resistiu no momento da intubação. Maria acredita que houve maus tratos com sua mãe. 

O caso é investigado como morte suspeita pela Delegacia de Cotia, que instaurou inquérito policial. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), a autoridade realiza a oitiva de funcionários do hospital e familiares da vítima. Também foram solicitados laudos periciais para identificar as causas da morte. 

Na época, o caso de dona Julieta chegou a repercutir na Grande Mídia. A prefeitura chegou a se manifestar, em nota, dizendo que a denúncia sobre irregularidades e suposta negligência não procedia. 

O Cotia e Cia entrou em contato na manhã desta sexta-feira (18) com a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da assessoria de imprensa da prefeitura, para saber o posicionamento da pasta sobre a investigação no caso de dona Julieta, mas até o fechamento desta reportagem, não houve retorno. 


Reportagem de Neto Rossi