Main Slider

Mães do Jd Ísis que precisam de creche recebem da Prefeitura de Cotia área de lazer

Secretaria Municipal de Educação reconheceu a importância de ter uma unidade educacional no bairro para suprir a demanda, mas preocupação não saiu até agora do papel.

Banquinhos e mesinhas de concreto ocupam espaço de terreno que
poderia ser construída a creche. Foto: Reprodução

Banquinhos e mesinhas ocupam o espaço de um terreno localizado no Jd Ísis, em Cotia, onde poderia ser construída uma creche, segundo moradoras do bairro. Desde 2018, há um processo na Prefeitura de Cotia em que solicita uma unidade educacional infantil na região. A Secretaria Municipal de Educação, à época, chegou a reconhecer a importância para atender a demanda local, mas nada foi feito, até o momento. 

Ex-secretária de educação reconheceu a necessidade de uma creche no bairro


Ex-liderança comunitária do Jd Ísis, Kelly Regina tomou à frente da luta para ajudar as mães que não tinham com quem deixar seus filhos para poderem trabalhar. Foi até a prefeitura e abriu um protocolo solicitando a construção de uma creche. 

Com o documento em mãos, a secretaria de educação se manifestou de duas formas. Da primeira vez, disse que a ampliação de duas salas de Jardim I e Jardim II, em uma escola do bairro, seria suficiente para atender a demanda. Já a secretária de Educação na época, Neusa Abreu, reconheceu que a construção da creche seria importante e solicitou, em documento enviado à Secretaria Municipal de Habitação, a indicação de um terreno para ser construída a unidade. Acontece que nem um e nem outro pedido foram concretizados. 
Ampliação de salas, conforme consta no documento, também não foi feita 


Ao Cotia e Cia, Kelly disse que se sente traída junto com as mães. “Mais uma vez, eles [da prefeitura] não estabeleceram uma relação entre a comunidade e o governo. Isso prova que eles não cumprem o que falam.” 

A única alternativa que as mães teriam é a creche do Mirante da Mata, bairro mais próximo do Ísis. No entanto, segundo elas, não há vagas, pois a unidade dá preferência para quem mora no local. 

“Eu precisei pagar uma pessoa para olhar o meu filho. No espaço onde fizeram um parquinho, daria para ter feito uma creche. Eu consegui [para o próximo ano] uma creche em São Paulo. Minha mãe trabalha lá e todos os dias ela vai ter que levar meu filho junto. São duas conduções para ir e duas para voltar”, relata Aline Luana dos Santos, mãe de um menino de 2 anos. 

O mesmo problema acontece com Estefany Fernanda Silva, mãe de um menino também de 2 anos. Desempregada, ela também relatou as dificuldades para matricular seu filho na creche do Mirante da Mata por falta de vagas. “Eu, conseguindo emprego no ano que vem, teria que deixar meu filho com a minha mãe, mas como ela está cuidando do meu pai, que está com um problema de saúde, ela não vai poder ficar com ele todos os dias. Eu teria que optar entre o emprego e o meu filho.” 

O Cotia e Cia, na tarde desta segunda-feira (7/12), entrou em contato por meio de mensagem de texto com o secretário municipal de Educação, Luciano Corrêa, e questionou o motivo de a creche no Jd Ísis não ter sido construída. Também indagou o secretário sobre a não ampliação de salas, conforme a secretaria, na época, tinha solicitado. Até o fechamento desta reportagem, Corrêa não havia respondido. 

Procurada para se manifestar a Prefeitura de Cotia também não retornou até o prazo solicitado. Caso haja um posicionamento, ele será acrescentado aqui. 

Reportagem de Neto Rossi