Main Slider

Mãe relata negligência com filho deficiente internado em Itapevi

Pedro Raimundo, 24, que tem distrofia muscular de Duchenne, será transferido ainda hoje para o Hospital das Clínicas (SP), segundo a Secretaria de Estado da Saúde 

PS Central de Itapevi. Foto: Reprodução 



Pedro Raimundo Neto, de 24 anos, está internado desde o último domingo (6/12) no Pronto-Socorro Central de Itapevi (SP), quando apresentou problemas respiratórios. O jovem, que tem distrofia muscular de Duchenne (DMD), uma doença degenerativa rara, passou por momentos difíceis na unidade, segundo relatou sua mãe, Luciene Cristiane Torres. 

Ele será transferido na noite desta quarta-feira (9/12) para o Hospital das Clínicas, em São Paulo, segundo informou a Secretaria de Estado da Saúde ao Cotia e Cia. 

“Ele chegou [no PS] com a saturação baixa e a médica resolveu interná-lo. Quando colocou o oxigênio, ele começou a melhorar e cochilou. Isso era em torno do meio dia. Enfermeiros vieram para furar as suas veias, mas não conseguiram, devido à doença”, explicou Luciene, detalhando que somente horas depois é que um enfermeiro conseguiu introduzir a agulha pela veia jugular. Às 18h, Pedro foi transferido para um leito. 
Pedro, 24, será transferido para o HC. Foto: Arquivo pessoal 



O paciente saiu para fazer exame de tomografia e voltou para o quarto. Luciene conta que uma enfermeira esfarelou um comprimido e disse que era para ela dar ao seu filho. “Mas eu falei que não tinha como ele tomar. Ele não estava acordado. Perguntei se não tinha médico, e ela disse que não. Ela foi lá, esfarelou o comprimido e deixou lá.” 

Após esse momento, Luciene foi informada que um médico passaria na manhã do dia seguinte para atendê-lo. Mas não aconteceu. Ela relata que uma médica apareceu apenas depois de ter feito uma reclamação. Segundo Luciene, Pedro ficou sem soro e sem medicamento durante a noite. 

“A médica disse que ele não estava respondendo. Ele estava gelado, suando frio. Ela falou que ia fazer um relatório e mandá-lo para a emergência.” 

Após avaliação e já na emergência, Pedro precisou ser entubado, pois ainda encontrava dificuldades em respirar e estava inconsciente. Luciene agora luta para que a unidade consiga transferir seu filho para uma UTI. “Ele precisa de uma vaga na UTI, porque aqui não tem condições de ficar.” 

Na tarde desta quarta-feira (9/12), o Cotia e Cia entrou em contato com a Prefeitura de Itapevi e relatou a denúncia de Luciene. Em nota, a prefeitura disse que informou à família o quadro clínico de Pedro e que ele recebeu todos os recursos necessários. 

Questionada sobre uma vaga de UTI, a prefeitura informou que fez a solicitação de transferência via Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross), do Governo de São Paulo, e que estava aguardando um retorno. 

A reportagem então entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde e, cerca de 3 horas depois, a pasta informou que Pedro seria transferido para o Hospital das Clínicas na noite de hoje. 

“Cabe ao serviço de origem viabilizar o transporte e efetivar a transferência - que não depende apenas da disponibilidade de vagas, requerendo também que a paciente apresente condições clínicas de ser transferida, com quadro estável e livre de infecções, por exemplo”, disse a secretaria.

Reportagem de Neto Rossi