Header Ads

Artigo: Como escolher uma escola para seu filho?

A escola pode fazer bem, mas pode fazer mal também.


Está chegando o período de matrículas e esta é uma situação que muitos pais passam, ou por que seus filhos irão iniciar essa jornada ou por que desejam mudar de escola.

A Escolha da escola é importante por vários motivos. É importante por que os primeiros anos de escolarização, além de serem fundamentais para desenvolvimento cognitivo, são marcantes na vida de todos nós. Muitas crianças passarão mais tempo na escola do que em casa.

Alguns aspectos são muito importante e precisam se levados em consideração. Hoje sabemos muito mais sobre o funcionamento do cérebro, aprendizagem e emoções do que sabíamos há 20 ou 30 anos atrás.

Sabemos também que a escola é determinante sob vários aspectos. Quantas pessoas desistiram de seguir uma carreira ligada a alguma disciplina por que tiveram experiencias ruins com seus professores? Quantas pessoas desistiram de estudar por que se sentiam fracassadas na escola?

Pois é, a escola pode fazer bem, mas pode fazer mal também.

Algumas dicas que podem ajudar a escolher a escola.

LEGALIZAÇÃO DA ESCOLA


Há alguns anos isso não era importante. Qualquer um poderia abrir uma escola, principalmente de educação infantil. Hoje não mais. Todas as escolas estão sob a supervisão da SECRETARIA ESTADUAL DA EDUCAÇÃO e precisam de autorização para funcionar. Esse é o primeiro passo. Verifique junto a Diretoria de Ensino da nossa região, que é Carapicuíba, se a escola que você tem interesse em conhecer, está dentro da lei. Isso evitará problemas no futuro, pois a vida escolar do aluno hoje é digital e centralizada.

ADAPTAÇÃO E ACOLHIMENTO


No processo de escolha, converse com a escola sobre esses dois pontos, descubra como farão o processo de adaptação, principalmente se a criança for pequena. O ideal é que seja feito em parceria com a família. É importante que a escola tenha profissionais que ajudem tanto a família como os professores a passarem por essa etapa tão importante.

Se a ADAPTAÇÃO é importante no ingresso da criança, ACOLHIMENTO é importante para a permanência na escola. Acolhimento é mais do que só atenção e carinho. Acolhimento é saber ouvir, respeitar e conversar com a criança. A escola é o primeiro ambiente social que convivemos. Surgirão conflitos, diferenças, desentendimentos que precisam ser resolvidos de uma forma sadia. Por isso é fundamental que a escola e os adultos da escola tenham um projeto que trabalhe essas questões. Conflitos, angústias, ansiedades, medos, insegurança fazem parte da nossa vida emocional e que precisa ser aprendido e compreendido. Todos aprendemos a lidar com esses sentimentos mais cedo ou mais tarde, mas se pudermos escolher “como vamos aprender” será bem melhor. Se pudermos escolher passar pelas nossas primeiras construções sociais sem traumas, por que não?

VALORES E ATITUDES

VALORES são respeito, honestidade, cooperação, solidariedade, compaixão, empatia, compromisso, coragem, princípios, entre outros tantos. Eles se expressam por meio do nosso “comportamento”, daí a importância do exemplo.

Sabemos que os Valores são aprendidos. Por isso é muito importante que a escola reflita os valores da família, por exemplo, uma família que preza valores religiosos se sentirá melhor em uma escola religiosa. Uma família mais liberal, por outro lado, talvez prefira uma escola mais aberta.

ATITUDES: aprendemos por meio dos exemplos. Desta forma é importante compreender como, na prática, a escola se propõem a lidar com esses temas.

O papel da aprendizagem social na escola vem crescendo a cada ano. Eles também estão diariamente dentro da sala de aula, no parque, no refeitório, na escola, não tem como a escola se eximir da responsabilidade de trabalhá-los de forma séria e comprometida. Os valores e atitudes da escola se refletem também nos seus alunos, uma escola que julga importante o respeito, por exemplo, com certeza respeitará seus alunos e terá alunos que se respeitam entre si.

APRENDIZAGEM


Mas esse não deveria ter sido o primeiro item? Pois é, os tempos mudaram neste quesito também.

Isso mudou por que descobrimos que existem diferentes tipos de inteligência e nenhuma é menos ou mais que a outra. Então, focar só em matemática ou encher o aluno de conteúdos para serem decorados ao invés de serem compreendidos deixou de ser sinônimo de uma boa escola. A Escola precisa ensinar a pensar.

Sabemos que estamos preparando nossos filhos para o mundo lá fora. Num futuro próximo, o mundo precisará de pessoas que consigam resolver uma situação, saibam lidar com o outro, que sejam capazes de analisar e sintetizar informações e assimilar informações e tecnologias. Pessoas que sejam capazes de aprender sempre e o tempo todo, não decorar.

Eles precisarão de HABILIDADES como ler e compreender, saber como pesquisar, compreender o que estão lendo. Que sejam “autores” de seus pensamentos e não tenham medo de expor suas ideias. Que sejam capazes de se colocar perante o mundo de forma questionadora e consciente. E, com certeza, uma boa parte disso se aprende na escola.

É muito importante ouvir o que escola propõem e como ela trabalha a aprendizagem. Que situações de aprendizagem ela promove, como lida com o erro do aluno, como são as avaliações e qual o caminho que a escola percorrer para que exista uma aprendizagem de fato. Como a escola lida com as dificuldades que o aluno poderá apresentar e como pretende ajuda-lo.

Hoje, mais do que nunca, cabe a escola ensinar o aluno a aprender, pois a informação (o conteúdo) está na palma da mão de todos nós, literalmente, nos smartphones, tablet e Iphones.

PROFESSORES E EQUIPE PEDAGÓGICA


É muito importante que você conheça a equipe da escola. O professor não trabalha sozinho. A escola deve ser uma equipe. Por que? A aprendizagem é um processo dinâmico, ela acontece em diferentes lugares, diferentes níveis e em diferentes tempos. Se existe, entre os professores, coordenadores e equipe de apoio uma boa integração, existirá troca de informações entre todos e quem sai ganhando é a aprendizagem.

A troca de informações entre todos ajudará também na transição dos alunos de um ciclo para outro. Tenha certeza que aos profissionais da Escola tem a formação necessária.

CONTEÚDOS X DESAFIOS

A proposta pedagógica é muito importante. A educação também tem “linhas”. São teorias de estudiosos da educação que embasam o projeto pedagógico da escola.

Com o avanço das tecnologias, da psicologia e das neurociências, sabemos muito mais sobre o cérebro humano, comportamento e emoções. Essas novas descobertas ajudaram muito a educação, pois possibilitou o surgimento de diferentes técnicas e estratégias para melhorar e otimizar o processo de aprendizagem.

Cada escola busca associar isso a sua “ideia” de educação.

Existem diversos tipos de Escolas, mas para se ter uma ideia, segue uma breve explicação de algumas dessas propostas

Tradicional: É a escola tradicional que muitos conhecemos. Tem como objetivo a transmissão dos padrões, normas e modelos determinados. Os conteúdos escolares são “engessados”. Cada disciplina é responsável pelo seu conteúdo, com pouco possibilidade de trocas ou de explorar novos temas. Esta forma de trabalho não se preocupa em conhecer o aluno ou ouvir o que ele tem a dizer. O conteúdo é ditado pelo professor ou pelo material pedagógico que ele utiliza. Esta proposta calca sua aprendizagem na memorização e na repetição. Tem características mais passivas e repetitivas.

Escola conteudistas: baseiam sua proposta de trabalho no conteúdo que é dado de forma sistemática independendo da realidade do aluno a da sua região. As variantes deste trabalho ficarão a cargo da equipe pedagógica, mas é muito comum ouvir das escolas que, por terem que concluir o material didático, sobra pouco tempo para outros projetos. A Escola baseia seu trabalho muito mais no recurso didático do que no professor.

As Escola com ‘linhas” pedagógicas: são escolas que baseiam seu trabalho em autores como Montessori, Piaget, Freinet, Vygotsky, que são teóricos e práticos da Educação. Em geral é uma escola que assume o propósito de levar o aluno a aprender e construir conhecimento de forma holística, olhando o aluno com um todo. Os conteúdos escolares são tão valorizados quanto o PROCESSO de aprendizagem.

A prática em sala de aula tem como característica os experimentos, pesquisas, vivencias, projetos entre outros. O professor deixa de ser um expositor e assume o papel de “elaborador” de situações desafiadoras da aprendizagem. A aprendizagem é construída e os alunos são avaliados de forma mais “dinâmica”. O professor deve respeitar e buscar compreender as necessidades individuais dos alunos. São as escolas como Waldorf, Montessorianas, Socio-construtivistas, Frenetianas, Reggio Emília, Escola da Ponte, entre outras.

Diferente do que muitos pensam, não são escolas experimentais nem “novas”, pois essas teorias da aprendizagem e pedagógicas existem há mais de 80 anos e tem sido referendada cada vez mais pelas neurociências. São também a base da educação de diversos países da Europa.

Escolas globalizadas: escolas que trazem recursos de tecnológicos para dentro da sala de aula como uma ferramenta de trabalho, tem ênfase no ensino de línguas e valoriza o conhecimento de mundo. Sua proposta é de um ensino mais dinâmico com vistas a formar um cidadão para o futuro do mundo globalizado que vivemos hoje. As escolas com esta proposta também podem trazer autores e teóricos da educação para fundamentar seu trabalho.

Autora: Melissa Issler, psicóloga e psicopedagoga pela PUC-SP.
Fonte: Associação Brasileira de Psicopedagogia

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.