Main Slider

Artista de Cotia participa de intervenções culturais em SP com pinturas de frases antirracistas

Vinícius Santos da Silva, o VN, integra o ‘Nós Artivistas’, coletivo que já pintou sete frases antirracistas na cidade de SP. A última intervenção, com a frase ‘#Pare O Abuso de Poder’, foi feita no final de semana na Ponte Estaiada

Frases procuram conscientizar as pessoas sobre o racismo estrutural. Foto: @bragadrones


O coletivo cultural ‘Nós Artivistas’ já pintou sete frases com conteúdos antirracistas na cidade de São Paulo, desde novembro. A última intervenção artística, com os dizeres ‘# Pare O Abuso De Poder’, foi feita entre a noite de sábado (26) e a madrugada de domingo (27) numa pista da Ponte Octávio Frias de Oliveira, conhecida como ponte estaiada, na Zona Sul da capital paulista.

Morador de Cotia e integrante do coletivo, Vinicius Santos da Silva, conhecido como VN, participou de todos os atos. Segundo ele, o grupo escolhe sempre lugares estratégicos e que dê visibilidade ao tema do racismo, abordado pelos ativistas desde a primeira ação cultural.

“Escolhemos sempre os lugares estratégicos de acordo com a abordagem do tema que a gente está querendo passar, mas sempre falando de racismo. Nessa última intervenção, escolhemos justamente a ponte estaiada por isso, por ser um cartão postal da cidade”
, explica. 

Vinícius Santos da Silva, o VN, na última intervenção em SP. Foto: Arquivo pessoal 


O formato da frase ‘# Pare O Abuso De Poder’ faz lembrar a expressão ‘ordem e progresso’ escrita na bandeira brasileira. VN explica que essa estética é justamente para mostrar que, ao invés de ordem e progresso, o Brasil está se afundando cada vez mais em crimes de racismo.

“A gente frisou essa estética do movimento da bandeira para abrir os olhos da sociedade e também por ser em frente ao prédio da Globo. Foi bem importante. Foi para chamar a atenção mesmo. As pessoas têm que se informar mais e ver que realmente o racismo está implantado na sociedade”


OUTRAS INTERVENÇÕES

A primeira ação do coletivo cultural aconteceu no dia 21 de novembro na Avenida Paulista, quando o grupo pintou a frase "#Vidas Pretas Importam", fazendo alusão ao assassinato do cidadão negro João Alberto Silveira Freitas por seguranças do supermercado Carrefour no Rio Grande do Sul.

Essa ação, segundo o coletivo, foi para lembrar das manifestações nos Estados Unidos contra o assassinato de George Floyd, quando as avenidas de cidades também ganharam inscrições como "Black Lives Matter" (Vidas Negras Importam, em tradução para o português).

Entre 26 e 27 de novembro, a Avenida 9 de Julho ganhou a frase “#O futuro é uma mulher preta” e, um dia depois, “#Silêncio é apagamento” foi escrito no Minhocão. 
Frase foi escrita no Minhocão, em SP. Foto: Nós Artivistas

No dia 10 de dezembro, quando é comemorado o Dia Internacional dos Direitos Humanos, o coletivo pintou a frase #Busque Racismo Estrutural” na Avenida Brigadeiro Faria Lima, na Zona Sul de São Paulo. A avenida foi escolhida por ser sede de importantes empresas, entre elas, o Google. A ideia do coletivo foi justamente essa: ajudar a entender o que é racismo estrutural e fazer com que as pessoas busquem o tema na internet.

O grupo também deixou suas marcas nas periferias de São Paulo. Em São Mateus, na Zona Leste, a frase "#Está Nascendo Um Novo Líder", que faz referência à letra do samba "Zé do Caroço" de Leci Brandão, representou a importância em debater que as futuras lideranças de ideias sociais e políticas estão na periferia.

Também na Zona Leste, desta vez no Jardim Elba, a frase "#Salvem Nossas Crianças" simbolizou a necessidade de pedir que as forças de segurança do estado e das cidades parem de matar as crianças, principalmente as negras. 

Por Neto Rossi (com informações complementares do G1)