Header Ads

Pólo Ecoturístico do Morro Grande deveria estar pronto

O "Pólo-Ecoturístico" que deveria existir no Morro Grande em Cotia deveria estar pronto, pelo menos isso é o que mostra o cronograma do projeto que visava explorar a reserva para esportes como tirolesa, golfe entre outras.

Tudo começou em 18 de setembro de 2013, quando o conselho do meio ambiente de Cotia se reuniu para aprovar as diretrizes para implantação do Polo-Ecoturístico, Marcio Camargo hoje deputado presidiu a reunião, pois na época era secretário de meio ambiente da cidade, além de Marcio estavam presente o conselho e Sidinei Martins apresentado como coordenador do grupo de trabalho. Em tal reunião foi aprovado por unanimidade as diretrizes do projeto que mais tarde viria ser licitado. 

No dia 29 de dezembro de 2013 a prefeitura de Cotia assinou um contrato com a OSCIP (Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público) Habita – Instituto para o Desenvolvimento das Cidades, o valor do contrato foi de R$ 2.999.024,33 segundo o diário oficial. O início do projeto deveria começar no dia 30 de janeiro de 2014 com término no dia 29 de janeiro de 2016.
Assinatura da parceria

O projeto até começou a ser implantado com o estudo do local, reuniões com a secretaria do meio ambiente do estado, além disso foi montado uma página na internet para que a organização fosse informando o púbico do andamento da implantação.

A assinatura da parceria na época foi destaque nos principais portais de notícias de Cotia, inclusive no site da secretaria de meio ambiente do estado. Apesar disso o projeto não saiu do papel. O documento foi assinado pelo prefeito de Cotia na época, Carlão Camargo, Sidinei Martins (Coordenador da comissão) e Alexandre de Moraes Boz (Habita). 
Assinatura foi destaque nos principais sites de notícias.


Entre os itens que a prefeitura cobrou na parceria estão o manual de identidade visual, definição de mascote, guia de trilhas, foto de satélite da região, aquisição de 1 veículo 4x4, 2 motos e 1 quadriciclo, além de capacitar 60 jovens que seriam guias, kits de salvamento entre outros, Clique na imagem abaixo para melhor leitura.
Exigências feitas pela prefeitura na época.

Apesar da lista ser grande, o que a Habita fez foi apenas o manual de identidade visual e o mascote, que inclusive pode ser verificado no Facebook, a última postagem da página foi em junho de 2014. Veja abaixo:

Reprodução/Facebook.

Em 2017, 4 anos após a assinatura do contrato, 1 ano após o suposto término do projeto o que foi feito efetivamente além do manual de identidade visual, mascote e reuniões? Na estrada de Caucaia do Alto, o turista encontra várias placas com indicações do Polo-Ecoturístico do Morro Grande (foto abaixo), a sinalização turística da via custou aos cofres públicos quase 180 mil reais.


Apesar da placa apontar a existência de tal Pólo, na verdade não existe nenhuma exploração turística no Morro Grande que é um um tesouro verde de nossa região. São 10.870 km² de mata atlântica. A Reserva abastece cerca de 500.000 pessoas de água e é tombada pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado).



Infelizmente foi gasto dinheiro público, foram feitos estudos, criando uma expectativa para que a economia turística do município melhorasse e para que os próprios munícipes participasse da exploração sustentável de um gigante verde na nossa região.

Tecnologia do Blogger.