Header Ads

Cotia tem quase 800 pessoas com suspeita de Dengue; 141 foram confirmados com a doença

Clube Arakan
O número de casos de dengue em todo o país, especialmente no Estado de São Paulo, preocupa a população, em Cotia não é diferente. A situação realmente é séria, de acordo com a equipe da Secretaria da Saúde de Cotia, neste momento o ideal é focar a atenção e as ações em medidas que possam efetivamente impedir a proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

O controle da doença exige uma mudança de comportamento das pessoas, por isso, é importante que haja um esforço coletivo.

É válido destacar que a principal característica do mosquito é sua preferência por água limpa, fresca e próxima de locais onde haja alimento para garantir a sua sobrevivência, fatores estes facilmente encontrados nos arredores das residências e no quintal.

Diariamente, devemos observar os pontos que podem servir como criadouro do mosquito da dengue e eliminá-los. “Fique atento a copo com água, garrafa virada com a boca pra cima, tampa de garrafa, calhas e, principalmente, caixa d’água sem vedação adequada”, declarou a coordenadora da Vigilância Ambiental de Cotia, Páscoa Bichiato.

A equipe da Secretaria Municipal da Saúde conta que já encontrou larvas do mosquito da dengue em brinquedos de criança deixados no quintal. “Todo e qualquer item que acumula água deve ser observado”, diz Páscoa.

Bichiato também alertou sobre acúmulo de água da chuva em lajes e a forma inadequada de armazenar água em função da escassez e racionamento da água. Nestes casos, o morador deve retirar a água acumulada da laje, manter o reservatório bem fechado e adicionar cloro líquido ou água sanitária. Vale ressaltar que, para garantir a eficácia da ação dos produtos, a população deve ficar atenta ao volume de água reservada.

Atualmente, a equipe de zoonoses da Prefeitura de Cotia está atuando com 22 agentes técnicos na rua, cinco nebulizadores e mantém a periodicidade das vistorias dos pontos estratégicos como borracharias, comércio de peças de carros usados (desmanches / ferro velho), acumuladores, entre outros, conforme determinação do Ministério da Saúde.

Medidas como a visita “casa a casa”, onde o agente orienta o morador, identifica possíveis criadouros, verifica a presença de caixa d’água sem tampa ou armazenamento inadequado, podem e devem ser potencializadas pelos cidadãos.

Há casos registrados pela equipe de Zoonoses, nos bairros com incidência da doença, em que os agentes de saúde voltaram a encontrar criadouros do mosquito em casas que já receberam orientação ou, até mesmo, já tiveram moradores infectados pelo mosquito. Em outra residência, a tela indicada para vedar a caixa d’água foi utilizada de forma inadequada na janela.  Fatos como estes infelizmente são comuns e apenas o compartilhamento de informações corretas à população.

Nota-se que a população tem a sensação de segurança quando a equipe passa com os nebulizadores, mas tal trabalho combate apenas os mosquitos que já estão na fase adulta. Se não houver o efetivo trabalho de diariamente checar os pontos com acúmulo de água, a nebulização por si só não será suficiente para combater o mosquito.

Bruno de Andrade teve o diagnóstico de sua filha como suspeita de dengue, porém felizmente foi constatado que não era a doença, "Tomamos o maior cuidado em casa, mesmo nós com acesso a informação não desconfiamos que o perigo está tão próximo" completa.

Números:

Até o momento, Cotia tem 800 casos notificados. Destes, 141 já foram confirmados, 66 foram descartados e 593 aguardam resultado.  Dentre os confirmados, 103 são autóctones ( local) e 38 são importados. O trabalho, realizado pela equipe da Vigilância Epidemiológica e coordenado por Juliana Canassa, permite que o município identifique em quais bairros há maior incidência da doença e direcione o trabalho das demais equipes.

Até o momento, o maior número de casos está ligado ao Bairro do Turiguara (Matéria do dia 2 de fevereiro. No local, em razão da presença de água nas dependências do Clube Arakan (Matéria da rede Globo), a população acredita que a área seja um criadouro do mosquito. No entanto, a equipe já esteve no local, tomou as medidas necessárias e recolheu amostras da água, mas  não encontrou larvas do mosquito Aedes Aegipt. A amostra apresentou apenas a espécie identificada como Culex ( pernilongo comum).

Todas as unidades de saúde de Cotia estão preparadas para identificar e notificar os casos da doença. A Vigilância Epidemiológica promoveu recentemente capacitação com os setores envolvidos para garantir a agilidade e qualidade dos serviços prestados. Estas informações asseguram que o morador possa procurar as unidades de saúde com segurança, uma vez que todas estão habilitadas para os procedimentos adequados.

Para esclarecer eventuais dúvidas ou denúncias sobre a dengue, o telefone para contato é o 4243-7724.
Tecnologia do Blogger.