Header Ads

Após matéria do Cotia e Cia começa obras emergenciais em Colinas de Cotia!

Após matéria do Cotia e Cia que foi a primeira mídia a divulgar o descaso no bairro Colinas de Cotia mais precisamente a Rua Himalaia a Prefeitura de Cotia começou nesta terça feira (8) uma ação paliativa ou seja emergencial para melhorar o pavimento da Rua.

Conforme informações do senhor Laércio chefe da equipe que executa o serviço “a ação tomada é temporária e visa aliviar as irregularidades do pavimento...” diz. Em conversa com o responsável os representantes da Associação Amigos de Bairro Colinas de Cotia apuraram ainda que a equipe também efetuará serviços de carpinagem e limpeza.

A medida é uma resposta às ações tomadas pela SABs Colinas de Cotia na busca da melhoria de qualidade vida dos moradores do bairro, mas segundo os responsáveis pela SABs “a solução definitiva seria refazer todo o pavimento, colocar guias e sarjetas e pelo menos três lombadas, já que a rua é bastante extensa e com declive, por tanto, ficamos no aguardo e vamos cobrar até que venha uma medida que recupere todo o pavimento”, afirmou Denilson Moura vice-presidente da Associação Amigos de Bairro Colinas de Cotia.



Relembre o Caso:

Moradores da rua Himalaia em Colinas de Cotia reclamam falta de assistência da Prefeitura!

Moradores fazem protesto silencioso.
A um ano e meio aproximadamente os moradores da Rua Himalaia do Bairro Colinas de Cotia sofrem com a destruição do pavimento por parte da construtora CADIL Empreendimentos empresa privada que é a responsável pela construção do Condomínio Colinas de Cotia.

Autorizada pela prefeitura de Cotia a CADIL concluiu a construção do Empreendimento que é alvo de ação civil pública por parte do Ministério Público de Cotia por ter sido construído em Área de Preservação Permanente (APP), no meio do imbróglio estão os moradores da Rua Himalaia que nada têm haver com o impasse, sofreram durante vários meses com o tráfego de caminhões e máquinas pesadas que destruírem boa parte do pavimento da rua e ainda tomavam conta da via como se fossem os próprios donos.

Sem qualquer apoio da Prefeitura os moradores da Rua fazem um protesto silencioso (foto 1), a Associação Amigos de Bairro Colinas de Cotia vem tentando sem sucesso obter apoio da prefeitura para exigir que a o asfalto da via seja reconstruído, bem como as calçadas de alguns moradores que foram danificadas pelos caminhões e máquinas da referida construtora. Em 15/03/2012 os representantes da SABs Colinas de Cotia estiveram presentes na assinatura do convênio entre a prefeitura e a Caixa Econômica Federal para obras de infra-estrutura da cidade, o bairro não havia sido citado na solenidade, porém em conversa com o então secretário de Planejamento Tagarela foi confirmada a inclusão de três ruas do bairro o que foi confirmado por e-mail no mesmo dia, dentre as três ruas constava a Rua Himalaia que em face da destruição provocada pela CADIL precisa de uma reconstrução, pois, a via encontra-se no “barro puro”.

Placa de melhorias porém ficou só na placa
Apesar disso e da liberação do recurso conforme placa colocada no bairro (foto 2) nenhuma melhoria foi feita na rua e a prefeitura tem ignorado os ofícios da Associação solicitando melhorias, em 24/09/2012 foram protocolados um ofício endereçado a Secretaria de Planejamento e outro para a Secretaria de Obras, ambos ficaram sem resposta até o dia 13/12/2012 onde em conversa por e-mail o engenheiro Alexandre Gaino da Secretaria de Planejamento informou que a rua não fazia parte do convênio assinado com a Caixa, interpelado novamente sobre a responsabilidade da CADIL e o e-mail enviado pela própria Secretaria garantindo a inclusão desta Rua o engenheiro simplesmente não respondeu, por outro lado a SABs de Colinas de Cotia não conseguiu qualquer retorno da Secretaria de Obras apesar de três visitas pessoais e três telefonemas na tentativa de verificar o andamento do Ofício nenhum funcionário do protocolo foi encontrado para dar um parecer.

Alagamentos.
Diante de tudo isso os moradores têm sofrido até com alagamentos (Foto3), devido o lamaçal formado pelo barro da via destruída e também com o desconforto de trafegam e residir em uma rua sem asfalto e deteriorada.
Tecnologia do Blogger.