Header Ads

Justiça de Cotia nega pedido de liberdade para mulher que esquartejou marido!

Juiz de Cotia, na Grande SP, não aceitou argumentos da defesa de viúva.
Elize Matsunaga confessou crime e está presa temporariamente em Itapevi.

A Justiça em Cotia, na Grande São Paulo, negou o pedido da defesa de Elize Araújo Kitano Matsunaga, de 30 anos, para que ela respondesse em liberdade pela morte do marido, o diretor da Yoki Marcos Kitano Matsunaga, de 41 anos. A informação foi confirmada nesta terça-feira (12) ao G1 pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Em seu despacho, o juiz Théo Assuar Gragnano, o mesmo que decretou a prisão temporária de Elize em 4 de junho, negou a solicitação do advogado de Elize, Luciano Santoro.
"Não se pode, à míngua de qualquer elemento probatório, presumir que a autoridade policial esteja protelando desnecessariamente a conclusão das investigações (...) Com essas considerações, não demonstrada a alegada ausência de diligências pendentes de realização, indefiro o pedido de revogação da prisão temporária", escreveu o juiz Gragnano em sua decisão.

A defesa queria a revogação da prisão por entender que ela é "ilegítima", já que a Polícia Civil informou que o caso está encerrado, restando apenas os resultados dos laudos periciais. Até as 15h40, a equipe de reportagem não conseguiu localizar o advogado de Elize para comentar a decisão judicial que negou o pedido de liberdade para a viúva.
Tecnologia do Blogger.