Header Ads

Trio envolvido em roubos e morte em Ibiúna é detido nos bairros do Verava e Caucaia.

Rafael/reprodução polícia civil
Um onda de roubos violentos na zona rural de Ibiúna teve fim na semana passada com a prisão de Gilberto da Silva Feitoza, 18 anos, e Rafael Fragoso da Silva, 21. Os dois e mais um adolescente de 17 anos são acusados da série de crimes que começou a ser praticada em fevereiro e trazia terror a moradores e a quem utilizava das estradas rurais do município, principalmente nos bairros Verava, Veravinha, Samano e Vargem do Salto.

O adolescente está internado na Fundação Casa, em Sorocaba, e teria sido o autor do disparo de uma espingarda calibre 12 que matou Varlan de Jesus Andrade, 18, em 20 de fevereiro, segunda-feira de Carnaval. Varlan tomou um tiro no peito em uma plantação do bairro Verava. O adolescente e Gilberto são acusados do latrocínio (roubo seguido de morte). Nesse mesmo roubo, o adolescente atirou na cabeça de Ricardo Brito, 17. O capacete impediu que o tiro de calibre 12 o matasse.

De acordo com o delegado Fabrício Lopes Ballarini, Gilberto e o adolescente esperaram as vítimas saírem de um bar para roubar a motocicleta Honda CG-125. Ricardo pilotava a motocicleta, com Varlan na garupa e eles foram atacados na Estrada do Verava. Os acusados usavam outra moto, uma Honda Strada. Ricardo tomou o tiro na cabeça, mas sobreviveu devido ao capacete. O disparo de calibre 12 tem grande poder de destruição. O delegado conta que Varlan foi levado para uma plantação a cerca de um quilômetro do lugar do roubo, onde o mataram.

Policiais civis tiveram apoio de guardas civis municipais para cumprir os mandados de prisão, na sexta-feira. Gilberto e o adolescente foram encontrados no bairro Verava, em Ibiúna, e Rafael em Caucaia do Alto, distrito de Cotia. A polícia apreendeu a espingarda, a moto roubada e a usada para o crime no dia 20 de fevereiro. A dupla teve dificuldade para roubar a CG-125, mas as vítimas o conheciam. Esse foi o motivo para matarem Varlan e atirarem em Ricardo, que pensaram que tivesse morrido, segundo o delegado. Rafael não participou do latrocínio, concluiu a investigação da polícia de Ibiúna. Ele, porém, é acusado de outros roubos junto com Gilberto e o adolescente. Conforme Ballarini, os três são acusados de pelo menos dez roubos, todos na zona rural. Um deles aconteceu em Piedade, no dia 2 de março, em que roubaram dinheiro de um agente penitenciário, e depois atiraram no carro.

Outro crime atribuído ao trio aconteceu em 4 de março, também na Estrada do Verava. Os três teriam tentado parar um caminhão a tiros, que atingiram a carroceria baú. O motorista acelerou e conseguiu escapar. Desta vez Rafael é quem atirou, segundo o delegado de Ibiúna. A pena para latrocínio varia de 20 a 30 anos de prisão. No caso do adolescente envolvido, ele deve deixar a Fundação Casa aos 21 anos. Ibiúna tem 1.057 quilômetros quadrados de área total e é um dos municípios com maior zona rural na região de Sorocaba.

Fonte: cruzeirodosul
Tecnologia do Blogger.