Header Ads

Investigação, tecnologia e informação: tripé de sucesso.

A polícia comemora a queda no número de homicídios.

“O que fez a diferença foram os investimentos e a gestão”, afirma Camilo
“O que fez a diferença foram os investimentos e a gestão”,
 afirma Camilo
 
A polícia comemora a queda no número de homicídios. De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, alguns fatores colaboraram para que o Estado atingisse esse resultado. Menos burocracia, foco nas investigações e o trabalho colaborativo entre Polícias Civil e Militar são alguns deles. O comandante geral da Polícia Militar, coronel Álvaro Batista Camilo afirma que a tecnologia é a principal ferramenta desse sucesso.

Em comparação com o ano de 2002, o crime diminuiu 80,2% na Capital. Nos últimos 12 meses, a queda foi de 9,67%, representando um pouco mais de 8 mortes por 100 mil habitantes. A média nacional é de 22,3/100 mil.

O delegado geral enfatiza que a polícia tem feito um bom trabalho de investigação focado no crime organizado. A proteção à testemunha também é um trabalho importante, pois dá mais segurança para que o cidadão forneça informações. “A sociedade deve entender que uma polícia de qualidade só existe com a sua colaboração”, diz Carneiro. Além disso, as prisões temporárias também têm inibido os criminosos.

“O que fez a diferença foram os investimentos e a gestão”, afirma Camilo. Houve muito investimento do governo em capacitação e equipamentos dentro da Polícia Militar. O incentivo à polícia comunitária, o cruzamento das informações com a Polícia Civil, ações integradas e aumento nas fiscalizações foram muito importantes.

Roubo de veículos

A polícia tem dado atenção especial a outros tipos de crime como o roubo de veículos, revela o delegado geral, que afirma ter sido muito bom o DEIC voltar a ser um departamento estadual. Segundo ele, os policiais têm rastreado os receptores e os desmanches e dá o exemplo de uma quadrilha que foi presa enquanto levava uma carreta cheia de carros roubados para o Paraná.

Camilo afirma que a PM também está investindo no combate a este tipo de crime. Operações como a “direção segura” e “cavalo de aço”, além das 200 bases comunitárias entregues à polícia pelo governador Geraldo Alckmin, serão ferramentas importantes. A tecnologia também é uma grande aliada. Leitores de placas e câmeras de monitoramento serão colocados nas ruas. Outros investimentos em viaturas e equipamentos também são previstos pelo comandante.

Latrocínios

Marcos Carneiro diz que o latrocínio preocupa a polícia. “Esse é um dos crimes mais torpes que existem”, afirma. Por isso, o DHPP criou uma delegacia especializada neste crime. Ele aconselha a nunca reagir e deixar para a polícia investigar depois para encontrar os criminosos.

Ações Policiais

O comandante da PM avalia que as ações da polícia têm sido bem feitas. Ele afirma que ainda dá para diminuir os índices, apesar de estarem num patamar mínimo, e espera contar com a contribuição do cidadão pois dele vem a informação principal para uso da polícia.

Carneiro diz que a luta contra a criminalidade é constante e a Polícia Civil tem dado uma boa resposta. Segundo ele, o foco é melhorar o atendimento à população, além da qualidade nas investigações e inquéritos. “A polícia conjuga três verbos: investigar, esclarecer e prender”, conclui.


Camila Lessa
Tecnologia do Blogger.