Header Ads

Moradores de Cotia são obrigados a fazer 'rally'

Moradores da região reclamam que a Rua Carlos Antonio está cheia de buracos
Moradores da região reclamam que a Rua Carlos Antonio está cheia de buracos
Uma rua com mais buracos que asfalto. É assim que os moradores da Granja Caiapiá, em Cotia, na Grande São Paulo, definem a Rua Carlos Antonio Pereira de Castro, antiga Estrada Caiapiá. A via, que na opinião de frequentadores é considerada abandonada pela prefeitura, apresenta grande quantidade de buracos profundos e muito mato, ocupando praticamente todas as poucas calçadas que existem.

Segundo o engenheiro Fábio Moraes, que mora na altura do número 1.800, onde a situação da estrada se encontra mais crítica, o problema do local são as mais de seis minas que passam por baixo da rua. “O asfalto sofre infiltração das minas. A prefeitura vem, faz aquele tapa-buraco, mas não faz a drenagem das minas. Mesmo remendando o asfalto, o problema não vai mudar”, analisa ele.

No ano passado, um dos moradores pendurou uma faixa de comemoração do primeiro aniversário dos buracos. Segundo Patrícia Rabello, que convidou a Operação Bairro a Bairro do DIÁRIO para um “rally agradabílissimo”, o serviço é de segunda, sai mais caro e os buracos retornam cada vez maiores. “Eu adoraria que os responsáveis participassem da experiência de enfiar seus carros em buracos que rompem escapamentos e estragam pneus”, reclama.

Numa tentativa desesperada, os usuários da via tentam diminuir o tamanho dos buracos com entulhos. Há quem já prefira desviar do caminho só para não ter o desprazer do “rally”. “Eu sempre passo pela rua de cima que é mais lisa”, diz o pedreiro Sebastião Agripino. Para Sergio Russo, que mora há 32 anos no local, o estado é de calamidade pública. “Remendaram em agosto e prometeram uma solução para o fim do ano”, diz.

Há cerca de três anos na região, Mauro Martins passa pela estrada de carro e pede “Tira foto!”. Logo depois completa: “Isso aqui é um absurdo. A gente acredita que vai melhorar quando a prefeitura remenda, mas é só questão de dias”, disse.

A empresária Eliana dos Santos, que mora na região, fala que ainda não teve a oportunidade de ver a estrada em situação diferente. “Falaram que asfaltariam, mas até agora nada”, ressalta. O projetista Ricardo Mendes há cinco anos passa de moto pelo local e desenvolveu uma técnica para continuar limpo. “Eu levanto as duas pernas para tentar chegar limpo às casas dos meus clientes”, revela. A prefeitura de Cotia não respondeu ao DIÁRIO até o fechamento desta edição.

*Da redação com Diário de SP
Tecnologia do Blogger.