Header Ads

Saúde alerta sobre os riscos da obesidade infantil!

Saúde alerta sobre os riscos da obesidade infantil
Aproveite as dicas para mudar os hábitos alimentares das crianças.

Um dos principais desafios dos pais na criação dos filhos está na educação alimentar. Diante de tantos apelos direcionados para o consumo de guloseimas explícitas na TV, no supermercado e até mesmo nas cantinas escolares, muitos pais perguntam como vencer a influência social e convencer o filho (a), a optar por frutas frescas, água, suco natural, ou seja, alimentação balanceada e saudável?

Para esclarecer estas e outras dúvidas, a Coordenadora da Saúde da Criança da Secretaria Municipal da Saúde Dra. Liamara De Angelis, revela neste artigo especial sobre obesidade infantil e alimentação saudável, dez passos para que os pais possam obter êxito na educação alimentar dos filhos.

Obesidade na infância

Segundo o IBGE, 10% das crianças e adolescentes, no Brasil, estão acima do peso e 7,3% são obesos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 10% das crianças e adolescentes, no Brasil, estão acima do peso e 7,3% são obesos. Uma das principais causas deste problema é a má alimentação.

As doenças cardiovasculares são raras em crianças, no entanto, fatores de risco presentes na infância podem aumentar significativamente a probabilidade de se desenvolver enfermidades cardíacas na idade adulta.

Novas recomendações mostram como prevenir o desenvolvimento de fatores de risco cardiovascular e aperfeiçoar a saúde do coração, o que se inicia com o leite materno e uma dieta baixa em gorduras saturadas, a partir de um ano de idade. As diretrizes também incentivam a proteção contra o fumo, bem como atividade física regular. Para o sucesso desta medida preventiva as famílias devem estar envolvidas, assim podemos evitar que as crianças tenham problemas mais sérios na fase adulta.

A obesidade está relacionada a várias doenças crônicas antes, apenas adultos sofriam deste mal. Hoje, crianças e adolescentes já têm colesterol alto, triglicerídeos, hipertensão e diabetes. Uma criança obesa na fase escolar tem 50% de chance de se tornar um adulto obeso. Em um adolescente obeso, a chance aumenta para 80%. O risco é maior de acordo com a gravidade da obesidade.

Os casos de obesidade devem ser tratados desde a infância para que não cause mais problemas na idade adulta. O rastreamento deve ser feito na consulta pediátrica, verifica-se o hábito alimentar, o peso e a estatura e calcula-se o índice de massa corpórea (IMC) , que corresponde ao peso (kg) dividido sobre a estatura (metros) ao quadrado e se estabelece a classificação orientando a alimentação saudável.

Dez passos para alimentação saudável

Passo 1 .- Dar somente leite materno até os 6 meses , sem oferecer água, chá ou qualquer outro alimento.

Passo 2.- Ao completar 6 meses, introduzir de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais.

Passo 3.- Ao completar 6 meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas e legumes) três vezes ao dia, se a crianças estiver em aleitamento materno.

Passo 4.- A alimentação complementar deve ser oferecida de acordo com os horários de refeição da família, em intervalos regulares e de forma a respeitar o apetite da criança.

Passo 5.- A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher; iniciar com consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até chegar à alimentação da família.

Passo 6.- Oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida.

Passo 7.- Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições.

Passo 8.- Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas, nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação.

Passo 9.- Cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o seu armazenamento e conservação adequados.

Passo 10.- Estimular a criança doente e convalescentes a se alimentar; oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos, respeitando a sua aceitação.

Ao seguir os Dez Passos Para Uma Alimentação Saudável, desde o nascimento, acompanhados do rastreamento nas consultas, com certeza diminuiremos o número de obesos na idade adulta. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que, se os pais de crianças e adolescentes não mudarem os hábitos de vida dos filhos, mais de 70% deles farão parte de uma geração de gordos, vítimas em potencial de doenças como a diabetes e cardiopatias.

Dra Liamara De Angelis
Tecnologia do Blogger.